Agrodefesa elabora planejamento estratégico para o triênio 2020-2022

Por orientação do governador Ronaldo Caiado, a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, recomendou à Agência Goiana de Defesa Agropecuária – Agrodefesa a elaboração de planejamento estratégico de longo prazo capaz de otimizar o desempenho operacional da Agência com alcance de resultados ainda melhores. Procedimentos semelhantes serão adotados também pela Emater-Goiás e Ceasa-Goiás, jurisdicionadas da Seapa. A medida faz parte de uma ação mais ampla do Governo Estadual que objetiva promover a mudança de paradigmas na gestão pública, em todos os setores, para o atendimento das demandas dos cidadãos com mais eficiência e rapidez.

Com esse objetivo, todos os diretores, gerentes, coordenadores das 12 Unidades Regionais e assessores técnicos estiveram reunidos hoje (11/3) no auditório da sede para avaliar documentos, discutir propostas, apresentar sugestões e formatar o documento final que vai nortear as ações da Agência no triênio 2020-2022. A consultora do Sebrae-Goiás, Cejana de Siqueira Freitas, coordenou os trabalhos de diagnóstico e prognóstico das mudanças. O presidente José Essado observou que a iniciativa será fundamental para ordenar e subsidiar a ação da Agência por um período mais longo, dinamizando todas as suas atividades.

Oportunidades

Os debates tiveram início na terça-feira (10) com a análise SWOT ou análise FOFA em português (Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças), também com participação dos diretores, gerentes e coordenadores, ocasião em que aprofundaram o conhecimento desta técnica de planejamento estratégico, utilizada para auxiliar pessoas e/ou organizações a identificar forças, fraquezas, oportunidades e ameaças como base para elaboração do planejamento estratégico. É importante para identificar fatores internos e externos que são favoráveis e desvaforáveis para alcance dos objetivos propostos. O termo SWOT é uma sigla oriunda do inglês, formada pelas palavras Forças (Strengths), Fraquezas (Weaknesses), Oportunidades (Opportunities) e Ameaças (Threats).

Ao final dos trabalhos, o presidente da Agrodefesa, José Essado, aproveitou a presença dos coordenadores de Unidades Regionais para fazer a entrega de computadores, adquiridos pela Agência por meio de parceria com o Fundo de Incentivo à Cultura do Algodão – Fialgo. Essado enfatizou que a distribuição dos computadores levou em conta as necessidades dos escritórios Locais e Regionais dos municípios produtores de algodão. Conforme disse, a presidência e as diretorias abriram mão da troca de equipamentos agora, numa decisão inédita, contemplando primeiramente as unidades do interior.

Assessoria de Comunicação 3201-3546