Goiás poderá exportar abóbora para os Estados Unidos

Sistema eficiente de controle de pragas, aumento da produção e qualidade dos frutos são atrativos para os importadores

Uma missão técnica do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) está em Goiás com a finalidade de analisar as medidas de controle fitossanitário quanto ao Sistema de Mitigação de Riscos da praga Anastrepha grandis (mosca das frutas) em cultivos de cucurbitáceas. Objetivo é viabilizar a importação de abóbora de Goiás para aquele país.

Integram a comitiva americana as auditoras Melody Maxwell e Thereza Barros, que estão acompanhados pela coordenadora geral de Fiscalização e Certificação Fitossanitária Vegetal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Edilene Cambraia Soares. A visita é coordenada pela Superintendência Federal da Agricultura em Goiás (SFA-Goiás) e Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa). A abertura dos trabalhos foi realizada pelo titular as SFA-Goiás, José Eduardo de França, e pelo diretor de Defesa Agropecuária da Agência, Sérgio Paulo Coelho.

A produção goiana de abóbora e melancia teve rápido crescimento nos últimos anos. Graças ao trabalho de orientação técnica da Agrodefesa aos produtores e implementação do Sistema de Mitigação de Riscos (SMR) para combate da principal praga das cucurbitáceas, o Estado conquistou reconhecimento do Mapa para exportação de frutos frescos, por produtores de 13 municípios. O maior volume de exportação é para países da América Latina, mas tem potencial para ampliar o leque de importadores.

Programação

As atividades da missão técnica da USDA foram iniciadas hoje (9/11) em Goiânia, com reunião realizada na Superintendência Federal da Agricultura (SFA-Goiás). Na ocasião a gerente de Sanidade Vegetal da Agrodefesa, Daniela Rézio e Silva, e o coordenador do Programa de Sistema de Mitigação de Risco, engenheiro agrônomo Mário Sérgio de Oliveira, apresentaram o SMR desenvolvido pela Agência. Da SFA-Goiás, a auditora fiscal Claudini Vieira Deboni Caixeta discorreu sobre as atribuições do Mapa na fiscalização e validação do Sistema.

No período da tarde, a comitiva visitou o Laboratório de Análise de Amostras da Universidade Federal de Goiás, com acompanhamento também dos técnicos da Agrodefesa e da SFA-Goiás. Os integrantes da missão conheceram os procedimentos utilizados no laboratório, com foco em estrutura física, equipamentos e procedimentos técnicos de análises.

Nesta terça-feira (10/11), a missão visitará três áreas de produção de abóbora, nos municípios de Uruana, Carmo do Rio Verde e Jaraguá. As auditoras serão acompanhadas pelo coordenador do SMR e pelo fiscal estadual agropecuário engenheiro agrônomo Juan Carlos Saavedra, da Unidade Regional Rio das Almas (Ceres) da Agrodefesa. A missão do USDA visitará também áreas de produção no Estado de Minas Gerais.

Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa) - Governo de Goiás - 3201-3546

 

Na abertura dos trabalhos, pronunciamento do superintendente Federal de Agricultura, José Eduardo de França, e do diretor de Defesa Agropecuária da Agrodefesa, Sérgio Paulo Coelho 

Auditora fiscal da SFA explica papel do Mapa na fiscalização e validação do SMR 

Coordenador do SMR na Agrodefesa, Mário Sérgio de Oliveira, discorre sobre atribuições da área de fitossanidade da Agência 

Auditoras do USDA com técnicos do Mapa e da Agrodefesa 

Auditoras Melody Maxwell e Thereza Barros visitam o Laboratório de Análises da Amostras da UFG

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.