Governo de Goiás e Fundepec doam vacinas contra aftosa e raiva a comunidades quilombolas

Medida é uma contribuição efetiva aos pequenos criadores que vivem em regiões remotas do Estado, para que possam garantir a sanidade do rebanho

O Governo de Goiás, por meio da Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa), em parceria com o Fundo para o Desenvolvimento da Pecuária em Goiás (Fundepec), está fazendo a doação de 10.960 doses de vacinas contra aftosa e raiva a pequenos produtores rurais pertencentes a comunidades quilombolas que vivem nos municípios de Cavalcante, Monte Alegre, Teresina e Nova Roma, na região Nordeste de Goiás. A distribuição das vacinas é coordenada pelas Unidades Regionais Rio Paranã (Posse) e Rio Itiquira (Formosa) da Agrodefesa. 

Na maioria dos casos, os insumos são entregues nas propriedades ou em povoados próximos, onde os produtores retiram as vacinas e recebem orientação dos fiscais sobre transporte, armazenamento e correta aplicação. A imunização dos animais contra a aftosa e contra a raiva deve ser concluída até 30 de novembro.

O presidente da Agrodefesa, José Essado, enfatiza que a doação de vacinas aos quilombolas tem caráter social, mas é muito mais do que isso, porque significa apoio efetivo do Governo Estadual, em parceria com o Fundepec, aos pequenos criadores, com o objetivo de garantir a sanidade do rebanho em regiões mais remotas do Estado. Ele lembra que os quatro municípios que concentram o maior número de quilombolas são considerados de alto risco para a raiva, e que a vacinação é obrigatória.

Distribuição

A distribuição das vacinas será intensificada, nesta semana, pelas Regionais da Agrodefesa, levando em conta os quantitativos necessários para vacinação contra aftosa e raiva. Para o município de Cavalcante, estão sendo destinadas 7.050 doses de vacinas; para Teresina de Goiás, 890 doses; Monte Alegre, 2.575 doses; e Nova Roma, 445 doses.

Em anos anteriores, os fiscais da Agrodefesa faziam aplicação das vacinas, mas, neste ano, em função da pandemia do novo coronavírus, a atividade ficará sob responsabilidade dos próprios criadores.

Contra a aftosa, devem ser vacinados todos os bovinos e bubalinos de até 24 meses. No caso da raiva, além de bovinos e bubalinos, também equídeos, caprinos e ovinos de até 12 meses. A Agrodefesa está atenta e fiscaliza o processo de vacinação em todo o Estado.   

Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa) – Governo de Goiás – 3201-3546

                                          Quilombolas recebem orientações e vacinas e contra aftosa e raiva para vacinação de seus rebanhos

          Pequenos pecuaristas de comunidades quilombolas recebem apoio para garantir a sanidade dos animais

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.