Agrodefesa capacita veterinários e agentes para realização de estudo sobre Anemia Infecciosa Equina

Levantamento é fundamental para determinar índice de prevalência, localização espacial dos casos e geração de dados para definição de estratégias de prevenção e controle da doença

A Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa), órgão do Governo de Goiás, fez hoje (16/11) uma capacitação virtual de 53 fiscais estaduais agropecuários e agentes de fiscalização agropecuária. Eles vão conduzir o Estudo Soroepidemiológico para Avaliação da Prevalência da Anemia Infecciosa Equina (AIE) no Estado de Goiás. A pesquisa começa nesta terça-feira (17) e vai se estender até 21 de dezembro.

 

O estudo vai abranger 393 propriedades rurais de Goiás sorteadas em todas as regiões do Estado. O objetivo é estimar a prevalência da AIE por foco (propriedades com pelo menos um animal soropositivo - equino, asinino ou muar) e por animais, buscando informações epidemiológicas, fatores de risco, distribuição geográfica dos focos e análise espacial das ocorrências.

O presidente da Agrodefesa, José Essado, afirma que o estudo é de grande relevância porque serão levantadas informações que vão subsidiar a Agência no planejamento e execução de estratégias mais eficientes de prevenção, bem como na adoção de medidas de controle da AIE no Estado. 

O treinamento de hoje foi ministrado pelo gerente de Sanidade Animal, Antônio do Amaral Leal, e pelo coordenador do Programa Estadual de Sanidade dos Equídeos, Bruno Rodrigues de Pádua. Eles falaram dos aspectos técnicos da pesquisa e repassaram orientações sobre os procedimentos de coleta, acondicionamento e transporte dos materiais que, posteriormente, serão encaminhados ao Laboratório de Análise e Diagnóstico Veterinário (LabVet) da Agrodefesa para análises.

Metodologia

As atividades serão realizadas por fiscais estaduais agropecuários, médicos veterinários e agentes de fiscalização agropecuária da Agrodefesa, em parceria com pesquisadores da Escola de Veterinária e Zootecnia da Universidade Federal de Goiás (UFG) e da Universidade de São Paulo (USP). Na pesquisa, serão coletadas amostras de soro sanguíneo dos animais que serão identificadas por meio de códigos. As informações cadastrais serão mantidas sob sigilo.

Os criadores cujas propriedades foram sorteadas terão todas as informações sobre o levantamento, e receberão uma cópia do Termo de Ciência para esclarecimento. Os criadores que discordarem da pesquisa e deixarem de assinar o termo de ciência não sofrerão qualquer tipo de penalidade. Ressalte-se que o estudo será realizado por interesse da defesa sanitária animal (Agrodefesa), conforme estabelecido na Lei Estadual nº 13.998/2001, artigo 3º, inciso III.

A Anemia Infeciosa Equina é uma doença de controle oficial da Agrodefesa e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) que, por determinação legal, exigem que os animais testados positivos sejam sacrificados para evitar a infecção de outros equídeos do rebanho. Contudo, na realização deste levantamento, os animais positivos não serão sacrificados. Ao final da pesquisa, os equideocultores participantes receberão o resultado da prevalência da AIE no Estado de Goiás.

Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa) – Governo de Goiás – 3201-3546

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.