Comitê Setorial da Agrodefesa valida Plano de Ação do Programa de Compliance Público

Documento é mais um avanço no processo de implantação e execução de Programa instituído pelo Governo de Goiás, com foco na probidade, transparência e boas práticas de gestão governamental

O Comitê Setorial do Programa de Compliance Público (PCP) da Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa) validou, nesta terça-feira (1º/12), o Plano de Ação do Programa. A consolidação do documento significa um passo fundamental no processo de implementação do Eixo IV – Gestão de Riscos em atividades gerenciais da Agência no âmbito da Diretoria de Gestão Integrada.

Todos os trabalhos desta fase foram realizados por meio virtual, com envolvimento dos membros do Comitê Setorial, da Secretaria Executiva do Comitê, da Diretoria de Gestão Integrada, de consultores da Controladoria-Geral do Estado (CGE) e dos gerentes das áreas administrativas abrangidas nesta etapa. 

Na abertura da reunião de validação, o presidente José Essado enalteceu os avanços do Compliance Público na Agrodefesa e cumprimentou as equipes que têm se empenhado para cumprir o cronograma de implantação e execução do PCP.

A coordenadora geral da Secretaria Executiva, Elíria Alves Teixeira, apresentou um balanço das atividades realizadas desde o início do processo em março deste ano até agora. Ao todo, foram realizadas 51 reuniões técnicas de trabalho. A validação do documento final ocorreu após avaliações, análises, discussões e definição das ações, com participação de todos os envolvidos. 

O consultor Tiago Vieira Borges, assessor de Controle Interno na Secretaria da Agricultura, responsável pela supervisão e pelo acompanhamento da implementação do PCP na Agrodefesa, destacou pontos fundamentais para o avanço dos trabalhos. Entre eles, estão a liderança e o comprometimento demonstrados pela alta direção. Conforme disse Tiago Borges, etapas como concepção, integração das equipes e implementação são passos imprescindíveis para a consecução dos objetivos.

Tiago Borges também fez um balanço das etapas já concluídas até agora, incluindo a assinatura do Termo de Compromisso; a publicação das Portarias que instituíram o Comitê Setorial e a Política de Gestão de Riscos; a avaliação da maturidade; a validação do Cronograma de Ações, do Plano de Comunicação e do documento Escopo, Contexto e Critérios; a criação da Secretaria Executiva do Comitê; e a validação da Matriz de Riscos.  

Plano de Ação

O Plano de Ação validado pelo Comitê Setorial tem abrangência sobre seis áreas de quatro gerências da Diretoria de Gestão Integrada. Foram identificadas e consolidadas 29 ações, que passam a ser efetivamente executadas a partir de agora. São ações que têm objetivos, metas, prazos para execução e entregas de produtos. Todas devem ser implementadas conforme previsto, mas, também, podem sofrer alterações, correções e reordenamento, para alcance de melhores resultados.

Para a Gerência de Tecnologia, foram validadas 12 ações, enquanto na Gerência de Gestão e Finanças, foram definidas cinco ações. Já na Gerência de Compras e Apoio Logístico, são seis ações, assim como na Gerência de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas. 

As seis áreas abrangidas são: Tecnologia de Informação, Finanças, Contratos, Convênios, Licitações e Gestão de Pessoas. O próximo passo é a execução das ações descritas no cotidiano da Agrodefesa. Vale ressaltar que algumas delas já estão em andamento. 

Todo o escopo de ações validadas no Plano de Ação tem foco na melhoria dos serviços prestados pela Agrodefesa, considerando aspectos como o aumento das demandas; rapidez na oferta de respostas; melhoria da infraestrutura de equipamentos; capacitação/valorização e ampliação do quadro de servidores; melhorias na gestão de finanças (incluindo a modernização dos processos de arrecadação); maior controle nas aquisições, contratos e convênios firmados pela Agência; e, ainda, melhorias na gestão do patrimônio. 

Equipes de trabalho

Participaram das reuniões que validaram o Plano de Ação, o presidente da Agrodefesa, José Essado; o diretor de Gestão Integrada, Augusto Amaral Rocha; o diretor em exercício de Defesa Agropecuária, Ramon Rizzo Vasques; o procurador Setorial, Márcio Potenciano; e o chefe de Gabinete, Luiz Bruno Roriz. Todos são integrantes do Comitê Setorial do PCP.

Da Secretaria Executiva, participaram: a coordenadora, Elíria Alves Teixeira; José de Souza Reis Filho, do Colegiado de Defesa Vegetal; Karla Caetano Fernandes, assessora da Diretoria de Gestão Integrada; Carlos Henrique de Castro Howes, gerente de Tecnologia; Daniela Rézio e Silva, gerente de Sanidade Vegetal; Rafael Costa Vieira, gerente do Laboratório de Análise e Diagnóstico Veterinário; e Renan William Martins de Abreu, coordenador da Unidade Regional Rio das Antas – Anápolis.

E, também, os titulares das gerências-alvo do Plano: o gerente de Tecnologia, Carlos Howes; a gerente de Gestão e Finanças, Maria do Rosário de Souza Ribeiro; a gerente de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas, Roberleine de Freitas Santos; e o gerente de Compras e Apoio Administrativo, Ivan José Mendonça.

Outros gerentes, técnicos e assessores da Presidência e das diretorias participaram dos trabalhos. São eles: a gerente da Secretaria Geral, Marlúcia Dutra Ramos Souza; Vinícius Lima Teixeira, da Diretoria de Gestão Integrada; Rossana Serrato, da Diretoria de Defesa Agropecuária; Welson José Tanja, da Gerência de Compras e Apoio Administrativo; Danielly Annine Eugênia Gomes, da Gerência de Gestão e Finanças; Cristiane Correia Martins e Rosana Cristina Martins, ambas da Gerência de Gestão de Pessoas; e Maria Hermínia Alencastro Salviano, secretária da Presidência. 

Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa) – Governo de Goiás – 3201-3546

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.