Agrodefesa realiza ação preventiva para evitar pragas em bananais de Goiás

Meta é inspecionar por amostragem 1% das propriedades comerciais de banana, nas principais regiões produtoras do Estado

O Governo de Goiás, por meio da Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa), desenvolve ações preventivas para evitar a introdução de pragas em bananais comerciais de Goiás. No momento, o foco principal é a praga quarentenária, ainda ausente no Estado, _Fusarium oxysporum f._ sp.cubense raça 4 Tropical – Foc R4T. A doença está presente em 15 países e, quando instalada, tem potencial para inviabilizar o cultivo comercial de banana.

O trabalho da Agrodefesa é orientado pela Gerência de Sanidade Vegetal, por meio da coordenação do Programa de Banana. Os fiscais estaduais agropecuários já realizaram levantamento fitossanitário (inspeção visual) nos municípios de Jaraguá, Ouro Verde, Petrolina de Goiás e São Francisco. Até o fim do mês farão o trabalho em cultivos nos municípios de Buriti Alegre, Morrinhos e Anápolis. 

As inspeções abrangem principalmente propriedades que cultivam as variedades do subgrupo Cavendish (Nanica, Nanicão e Valery) e Banana da Terra (d’Angola, Terra Maranhão e Terrinha). As atividades no campo são supervisionadas pelo coordenador do Programa de Banana, Juracy Rocha Braga Filho, com apoio de agrônomos das Unidades Regionais Rio das Almas Ceres), Rio das Antas (Anápolis) e Rio Paranaíba (Itumbiara). 

O presidente da Agência, José Essado, ressalta que as medidas preventivas são fundamentais. Segundo ele, se for constatado qualquer indício da praga em determinado pomar, imediatamente são adotadas providências fitossanitárias para conter o problema. Goiás é o 10° produtor nacional de banana, inclusive da variedade maçã, que praticamente não é cultivada em outros Estados. A atividade movimenta a economia de muitos municípios e gera emprego e renda no campo e nas cidades.

Orientações

A gerente de Sanidade Vegetal, Daniela Rézio e Silva, observa que paralelamente aos trabalhos de inspeção realizados nos plantios comerciais, os profissionais da Agrodefesa também orientam os produtores sobre a necessidade de estar em constante vigilância para detectar quaisquer indícios de pragas e doenças nos pomares, comunicando imediatamente à Agrodefesa sobre eventuais problemas.

O coordenador do Programa de Banana, Juracy Rocha, destaca que os cuidados começam com a aquisição das mudas, que devem ser certificadas, livres de pragas, provenientes de laboratórios, biofábricas ou viveiros idôneos.  Para a obtenção de mudas, os produtores podem solicitar autorização para aquisição no site da Agrodefesa (www.agrodefesa.go.gov.br). 

Outros cuidados incluem o transporte de bananas em caixas higienizadas e a emissão da Autorização de Trânsito de Vegetais (ATV), que facilita o trabalho de controle fitossanitário.

Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa) – Governo de Goiás – 3201-3546

Coordenador do Programa de Banana, Juracy Rocha, inspeciona plantas no campo

Inspeção visual pode apontar indícios de pragas e doenças, favorecendo a adoção de medidas fitossanitárias de controle Nos pomares, técnicos observam a parte foliar da planta, os frutos e até o solo para identificar quaisquer problemas Na formação de novos pomares, os produtores precisam ter cuidado com a origem e a qualidade das mudas

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.