Produtos fitossanitários tem que ter origem

Em entrevista concedida a TV Record nacional o Fiscal Estadual Agropecuário Fabiano Vargas da Agrodefesa, alerta que esses produtos contrabandeados não são confiáveis e não passam por análises que atestam sua qualidade, realizados pela ANVISA, IBAMA e MAPA e que seu uso ilegal provocaria muitos riscos ao meio ambiente, prejuízo na produção vegetal e na saúde do trabalhador rural.

O fiscal alerta para o fato de que utilizar produtos de origem contrabandeada é uma contravensão grave e fere os princípios das boas práticas agrícolas em Goiás.

Após o desfecho da operação SAFRA, uma parceria entre a Polícia Federal de Barra do Garças e o COD (Comando Operação de Divisas) que apreendeu mais de 1 tonelada de agrotóxicos contrabandeados do Paraguai para serem vendidos no município de Quirinópolis. Foram levados à delegacia da PF em Jataí, o produto do contrabando, o motorista do caminhão que transportava a mercadoria, o qual já tem passagem.

É época de colheita da soja, daqui a pouco, inicia-se a produção do milho safrinha, o produtor precisa fazer os investimentos necessários, comprar o defensivo para iniciar o plantio é um deles. O

corre que muitas vezes alguns produtores querendo economizar acabam utilizando essa prática de adquirir produtos contrabandeados, lesando o estado na parte fiscal, prejudica sua produção e pode adoecer o trabalhador rural, isso para não mencionar resíduos tóxicos nos alimentos e no meio ambiente.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.