Fiscalização Vegetal

O serviço de defesa sanitária vegetal estadual é constituído pelo conjunto de práticas destinadas a prevenir e impedir a entrada de novas pragas no Estado e a controlar ou erradicar pragas presentes no Estado capazes de provocar danos econômicos às lavouras e pomares, especialmente as que detêm importância econômica e social.

Por ser o trânsito de vegetais uma importante forma de veiculação e disseminação de pragas, a fiscalização do trânsito de vegetais é uma das práticas desenvolvidas pela defesa sanitária vegetal.

As atividades de fiscalização do trânsito de vegetais, intra e interestadual, desenvolvidas pela Agência Goiana de Defesa Agropecuária têm como objetivo impedir a entrada e/ou a disseminação de pragas que constituam ou possam constituir ameaças à agricultura, garantindo a sanidade e a qualidade dos produtos vegetais oriundos do estado de Goiás, bem como fiscalizando e assegurando que os produtos de origem vegetal oriundos de outros estados e destinados ao estado de Goiás estejam em conformidade com as normas e padrões vigentes.

Gerência de Fiscalização Vegetal

Para implementar e coordenar as atividades inerentes à fiscalização do trânsito de Vegetais, entre outras atividades relacionadas à fiscalização vegetal, foi criada, dentro da estrutura da AGRODEFESA, subordinada à Diretoria de Fiscalização, a Gerência de Fiscalização Vegetal, que atua apoiando as ações de fiscalização vegetal desenvolvidas em Unidades Operacionais Locais e coordenando as barreiras fitossanitárias fixas (Postos Fixos), e as barreiras fitossanitárias móveis (Fiscalização Volante).

Atualmente a AGRODEFESA possui 19 barreiras fitossanitárias fixas que dão suporte às atividades de fiscalização do trânsito de cargas de animais e vegetais. Essas Barreiras estão localizadas nas divisas com os estados da Bahia, Distrito Federal, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Tocantis. Duas das citadas barreiras não estão localizadas em divisas com outros Estados, e sim nas entradas de duas Centrais de Abastecimento (CEASAs) localizadas nos municípios de Anápolis e Goiânia.

Barreiras fitossanitárias fixas (Postos Fixos) pertencentes à estrutura da AGRODEFESA.

As barreiras fitossanitárias móveis realizam ações, por meio dos Fiscais Estaduais Agropecuários e Agentes de Fiscalização, em pontos estratégicos dentro de cada Unidade Regional, de acordo com a necessidade demandada, bem como o atendimento de denúncias gerados pelo Disk Denúncia (0800 646 1122).

A Gerência de Fiscalização Vegetal é composta por três coordenações, a saber:

  • Coordenação de Relatórios;
  • Coordenação de Trânsito Vegetal;
  • Coordenação de Sementes e Mudas;

Coordenação de Trânsito Vegetal

Com a implantação e a estruturação das barreiras fitossanitárias fixas nas principais rodovias que cortam o Estado e com a realização de blitzes através das equipes de fiscalização móvel em pontos estratégicos, a AGRODEFESA, através da Coordenação de Trânsito Vegetal contribui, por meio da fiscalização de trânsito de produtos e subprodutos vegetais, para a manutenção de áreas indenes às pragas que ainda não foram introduzidas no Estado.

Conheça as ações da Coordenação de Trânsito Vegetal

Coordenação de Relatórios

Após a abordagem dos veículos que transportam produtos e subprodutos de origem vegetal, ocorrida nos postos de fiscalização da Agrodefesa e pelas equipes de fiscalização móvel, os fiscais e agentes agropecuários procedem com o registro de informações nas planilhas que relatam o ocorrido em suas ações.

Conheça as ações da Coordenação de Relatórios

Coordenação de Sementes e Mudas

O bom desenvolvimento e a sanidade de lavouras e pomares depende, entre outros fatores, da utilização de material propagativo indene e de qualidade. Tal fato justifica a necessidade de uma rigorosa fiscalização que visa a garantir que os materiais de propagação vegetal comercializados no Estado possuam origem e identidade conhecidas e atendam às normas e padrões de qualidade exigidos em legislações pertinentes.

Conheça as ações da Coordenação de Sementes e Mudas